Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Redundo para o Mundo

Um olhar sobre o mundo das notícias

De Redundo para o Mundo

Um olhar sobre o mundo das notícias

Supertaça Cândido de Oliveira 2009 - FC Porto 2-0 P. Ferreira (Resumo)

O FC Porto venceu a sua 16ª Supertaça Cândido Oliveira depois de vencer o P. Ferreira por 2-0. Os golos foram apontados por Ernesto Farías aos 59 minutos, aproveitando um erro do guarda-redes Cássio e por Bruno Alves aos 89 minutos na sequência de um canto. Esta é a primeira Supertaça conquistada por Jesualdo Ferreira.

As duas equipas apresentaram os seus onzes sem grandes alterações em relação aos últimos jogos disputados, com o FC Porto a manter a frente de ataque com Mariano Gonzalez, Varela e Hulk. Do lado do Paços, destaque para a dupla de avançados Cristiano e Romeu Torres.

A primeira ocasião de golo surgiu logo aos 3 minutos e para o Paços de Ferreira, com Cristiano a combinar bem com Pedrinha, que remata forte para uma defesa incompleta de Helton e a bola a sobrar para Cristiano, que deslumbrado falhou o cabeceamento já com o guardião portista batido.
Como é natural o FC Porto, com o passar do tempo, conseguiu controlar as operações no meio-campo, mas a equipa de Paulo Sérgio mostrou grande personalidade e ia tentando fazer frente ao maior poderio individual do FC Porto. O FC Porto criou por um par de vezes oportunidades de golo, sempre com Hulk na jogada.

O final da primeira parte chegava, depois de 45 minutos muito disputados mas nem sempre bem jogados, com o Paços a entrar melhor mas o FC Porto cresceu a partir dos 20 minutos.
Para a segunda parte Jesualdo Ferreira fez entrar Ernesto Farías para o lugar de Belluschi, abrindo a frente de ataque e passando Mariano Gonzalez para a posição de organizador de jogo.

O FC Porto começou a jogar mais perto da baliza contrária, mas o Paços de Ferreira, sempre com muita personalidade, ia construindo perigosos contra-ataques sempre com Cristiano em plano de destaque.

À passagem do minuto 59 surgiu um momento importante na partida, a bola parecia que circulava tranquilamente pela defensiva pacense e chega aos pés de Cássio, o guarda-redes do Paços, que apercebendo-se da pressão de Farias tenta fintar o avançado contrário mas adianta um pouco demais a bola e o avançado argentino recupera a bola a faz o primeiro golo da partida.
O FC Porto colocava-se assim em vantagem nesta final, quando o Paços começava a equilibrar o jogo pela primeira vez nesta segunda parte.

A equipa de Paulo Sérgio sentiu um pouco o golo sofrido, mas o treinador pacense tentou através de duas substituições alterar o rumo dos acontecimentos, com a entrada de dois avançados para a saída de um defesa e um médio. Paulo Sérgio tentava esticar o jogo, colocando mais jogadores na frente de ataque, o que abria espaços para a equipa do FC Porto realizar ataques rápidos.

O FC Porto ia tentando controlar o jogo, e foi sempre o campeão nacional a criar as jogadas de maior perigo. O Paços via-se agora obrigado ter as despesas da partida, e sentia muitas dificuldades para chegar à baliza de Helton.
Aos 89 minutos o FC Porto chega ao segundo golo por intermédio de Bruno Alves, que na sequência de um canto de Raúl Meireles, tem uma impulsão de outro mundo e cabeceia para a baliza de Cássio.

Estava assim decidido o vencedor da Supertaça Cândido Oliveira, com o FC Porto a conquistar o seu 16º troféu e Jesualdo Ferreira a conquistar a sua primeira Supertaça.

 

Fonte: Zerozero