Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Redundo para o Mundo

Um olhar sobre o mundo das notícias

De Redundo para o Mundo

Um olhar sobre o mundo das notícias

Vitória portista sob as ordens de Lucho e Defour

19.09.12 | adamirtorres
Clique na miniatura para aumentar a imagem

Fonte: Sapo Desporto Fotos

O F. C. Porto estreou-se, esta noite de terça-feira, a vencer na Liga dos Campeões 2012/13. Os dragões bateram o Dínamo Zagreb, por 2-0, na Croácia, na primeira jornada do Grupo A. Os portistas tornaram-se na primeira equipa portuguesa a ganhar aos croatas em Zagreb.  
Para este encontro na Croácia, Vítor Pereira apostou em Miguel Lopes para o lado direito da defesa portista, deixando o internacional brasileiro Danilo no banco. Na frente, para colmatar a ausência do Incrível, Varela ganhou a corrida a Atsu.

Ficha de jogo
Dínamo Zagreb, 0 FC Porto, 2
Jogo no Estádio Maksimir, em Zagreb. Assistência: cerca de 10.000 espetadores
Dínamo Zagreb Ivan Kevala, Vida, Tonel, Simunic, Pivaric, Ademi (Beqiraj, 58), Calello (Kovacic, 80), Sammir, Brozovic, Cop e Rukavina (Carrasco, 67). Treinador: Ance Cacic.
FC Porto Helton, Miguel Lopes, Maicon, Otamendi, Alex Sandro, Defour, Lucho, João Moutinho, Varela (Atsu, 72), James Rodriguez (Mangala, 88) e Jackson Martínez (Kléber, 77). Treinador: Vítor Pereira.
Árbitro Daniele Orsato (Itália). Amarelos Não houve
Golos 0-1, Lucho González, 41' 0-2, Defour, 90+2'

Artigos Relacionados:

Vitória portista sob as ordens de Lucho e Defour

FC Porto mostra a sua superioridade e entra a vencer

F. C. Porto vence (2-0) Dínamo Zagreb na Croácia

Vítor Pereira: "Sem Hulk, FC Porto vai continuar a ganhar títulos"

Lucho e Defour dão vitória ao FC Porto (0x2)


As caras de Johnny Depp 3/3

18.09.12 | adamirtorres

Governo deverá recuar na TSU durante Conselho de Estado

18.09.12 | adamirtorres
Gaspar deverá anunciar alternativa às mudanças na Taxa Social Única (TSU) na reunião do Conselho de Estado, marcada para sexta-feira.
O Governo poderá alterar a proposta para a Taxa Social Única (TSU) nas negociações de Concertação Social, uma posição que deverá ser anunciada pelo ministro das Finanças, Vítor Gaspar na próxima reunião do Conselho de Estado, com Cavaco Silva. A informação é avançada pela SIC.

Governo deverá recuar na TSU durante Conselho de Estado | Económico


«FC Porto tem de responder coletivamente»

17.09.12 | adamirtorres
O FC Porto estreia-se, esta terça-feira, na edição 2012/2013 da Liga dos Campeões na Croácia, contra o Dínamo de Zagreb, sendo este o primero encontro sem um dos jogadores mais influentes da equipa nos últimos anos.

«Trabalhamos, de alguns anos a esta parte, no sentido de ter comportamentos e um estilo de jogo próprio. Hulk era um jogador importante para nós – aproveito para agradecer tudo o que nos ajudou a conquistar -, mas o FC Porto vive do coletivo. A equipa tem de responder coletivamente e é isso que espero, independentemente da saída de um jogador que era importante na nossa dinâmica», disse, esta segunda-feira, Vítor Pereira na antevisão ao jogo da prova milionária.

«FC Porto tem de responder coletivamente» - SAPO Desporto


«Mourinho tem razão»

17.09.12 | adamirtorres
O médio alemão está de acordo com o seu treinador, José Mourinho, quando o português criticou a exibição do Real Madrid frente ao Sevilha, no último encontro a contar para o campeonato espanhol.

«Naturalmente, o treinador tem responsabilidade mas cabe aos jogadores jogar bem e em Sevilha não o fizemos como devíamos. Mourinho tem razão nas suas queixas. Jogámos muito mal e ele tem todo o direito de opinar como entender ante a opinião pública», disse, esta segunda-feira, Sami Khedira, na conferência de imprensa do jogo da Liga dos Campeões com o Manchester City.

«Mourinho tem razão» - SAPO Desporto


As caras de Johnny Depp 2/3

15.09.12 | adamirtorres

Passos Coelho "faz relembrar história da Alice no Pas das Maravilhas"

14.09.12 | adamirtorres

"Quem ouviu a entrevista do primeiro-ministro, a primeira reação que teve foi relembrar a velha história da Alice no País das Maravilhas. É um primeiro-ministro e um Governo que estão completamente dissociados do país real, do sofrimento, dos problemas com que os trabalhadores se debatem, dos reformados, dos pensionistas e dos jovens desempregados", frisou.

Arménio Carlos advertiu que, neste momento, o que está em desenvolvimento é uma "tentativa de iludir os portugueses com pequenos ajustamentos", no âmbito da preparação do Orçamento do Estado para 2013 em relação a algumas medidas anunciadas.

"Os portugueses não precisam de esmolas, precisam ser respeitados e exigem que a riqueza e os rendimentos sejam distribuídos de uma outra forma, só dando resposta aos problemas do mercado interno é que podemos evoluir numa lógica de desenvolvimento e progresso social", disse.

Ler artigo completo:Entrevista de Passos Coelho "faz relembrar história da Alice no País das Maravilhas" - JN


Portugal vence Azerbaijão por 3-0 (Resumo)

12.09.12 | adamirtorres

Marcar três golos é sempre um resultado interessante, mesmo quando do outro lado esteve uma selecção débil como é o Azerbaijão. Mas o olhar tem de ser menos benévolo se for levada em conta a exibição apenas sofrível de Portugal, o número interminável de remates e oportunidades flagrantíssimas (para além de um penálti não assinalado) desperdiçados, as cinco bolas nos ferros e os 22 cantos a favor (contra apenas um do adversário).

Pouco ou nada justifica que Portugal só tenha marcado o primeiro golo já com uma hora de jogo e os restantes nos cinco minutos finais. A não ser a histórica má relação com as balizas adversárias.
Portugal arranca a corrida para o Brasil com duas vitórias nos dois primeiros jogos, o que só acontece pela quarta vez em 20 anos de apuramentos de Mundiais e Europeus. Mas a eficácia finalizadora tem de ser melhorada em muito no próximo confronto, na Rússia, frente ao único verdadeiro opositor que sorteio ditou neste grupo.

 

Artigos Relacionados:

Marcar três golos num jogo em que o mais difícil foi não golear

Portugal sofre mas consegue vencer (3x0)

Portugal vence Azerbaijão por 3-0

Varela abre, Postiga sossega e Bruno Alves fecha

Portugal-Azerbaijão ao minuto: 3-0

Paulo Bento: “Resultado peca nitidamente por escasso”


As caras de Johnny Depp 1/3

12.09.12 | adamirtorres

As principais medidas anunciadas por Vítor Gaspar

12.09.12 | adamirtorres

Passos baixa salários a todos os trabalhadores

08.09.12 | adamirtorres

Passos Coelho comunicou ao país, esta sexta-feira, que os funcionários públicos verão um dos subsídios reposto e diluído nos ordenados dos 12 meses do ano e o outro continuará suspenso. Mas o subsídio reposto acaba por ser retirado através do aumento da taxa de contribuição para a Segurança Social de 11 para 18%, o equivalente a um subsídio.

"O Governo decidiu aumentar a contribuição para a Segurança Social exigida aos trabalhadores do setor privado para 18%, o que nos permitirá, em contrapartida, descer a contribuição exigida às empresas também para 18%", afirmou Pedro Passos Coelho, numa declaração ao país, na residência oficial de São Bento, em Lisboa.

"Faremos assim descer substancialmente os custos que oneram o trabalho, alterando os incentivos ao investimento e à criação de emprego. E fá-lo-emos numa altura em que a situação financeira de muitas das nossas empresas é muito frágil", acrescentou o primeiro-ministro.

Passos Coelho referiu que "a subida de sete pontos percentuais na contribuição dos trabalhadores será igualmente aplicável aos funcionários públicos e substitui o corte de um dos subsídios decidido há um ano".

Antes, o primeiro-ministro referiu-se à decisão do Tribunal Constitucional de declarar inconstitucionais os cortes nos subsídios de férias e de Natal por violação do princípio de igualdade, inconstitucionalidade que, contudo, o tribunal decidiu não se aplicar este ano.

Passos Coelho alegou que o Tribunal Constitucional qualificou de "excecional interesse público" o cumprimento das metas estabelecidas no Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal, mas considerou que deveria haver "uma outra combinação de encargos e de sacrifícios, que não poderia, no entanto, ser confundida com a igualdade estrita, já que isso equivaleria a tratar de igual modo aquilo que era objetivamente diferente".

ler artigo complero:Passos baixa salários a todos os trabalhadores - JN


Trabalhadores do sector público e privado vão ter corte de 7% nos salários

08.09.12 | adamirtorres

Os trabalhadores do sector privado e os funcionários públicos vão passar a descontar mais para a Segurança Social.
A contribuição vai passar dos actuais 11% para os 18%, sete pontos percentuais que terão expressão já no orçamento do Estado para 2013. Em contrapartida, as empresas verão descer a sua contribuição para os 18%.
Esta foi a principal medida de austeridade e combate ao desemprego anunciada esta noite pelo primeiro-ministro.
Na prática, o sector privado passa a receber 13 salários anuais (e não 14), uma vez que o aumento de 7 pontos percentuais na Taxa Social Única equivale ao fim do ano à totalidade de um salário.
Na Função Pública, o esquema será o seguinte: O Governo vai manter corte de um dos subsídios. E vai repor o outro distribuindo-o por 12 meses de salários, montante sob o qual é aplicado o aumento da TSU em 7 pontos percentuais (também para 18%). Na prática continuam a receber menos dois salários anuais. Daí que Passos tenha feito questão de clarificar "que o rendimento mensal da Função Pública não será alterado face a este ano".
Já os pensionistas continuarão a ter o corte dos dois subsídios até ao final do programa de assistência.

Ler artigo completo:Trabalhadores do sector público e privado vão ter corte de 7% nos salários | Económico