Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Redundo para o Mundo

Um olhar sobre o mundo das notícias

De Redundo para o Mundo

Um olhar sobre o mundo das notícias

Manuel Cardoso é campeão

Manuel Cardoso (Caja Rural) é o novo campeão nacional de fundo, após a prova que terminou em Pataias, Alcobaça.
O ciclista, convocado para representar Portugal nos Jogos Olímpicos, venceu ao sprint a etapa de 158,6 quilómetros conquistando, pela segunda vez, o Campeonato Nacional de Fundo.
Os adversários mais directos do ciclista de Paços de Ferreira foram António Carvalho (Mortágua), segundo classificado, e Edgar Pinto (LA-Antarte), terceiro. 
O vencedor e o grupo que chegou nas suas costas concluíram a corrida em 3h52m40s, à média de 40,900 km/h.

Manuel Cardoso é campeão - O Jogo


«Cristiano é singular, não há mais ninguém assim»

Nani, Moutinho, Meireles são nomes que Vicente Del Bosque, selecionador espanhol, conhece e pronuncia de cor. Mas há um que é «singular», «não há mais ninguém assim»: Cristiano Ronaldo.

Vicente Del Bosque considera que o perigo da equipa das quinas é coletivo mas admite que a singularidade de Cristiano Ronaldo pode resolver jogos: «Portugal tem um futebol de contra ataque. Tem jogadores como Nani, Moutinho e os seus bons passes, Meireles e os seus remates. A defesa tem gente muito forte, muito poderosa, e dois laterais que se enquadram bem no jogo ofensivo. Não precisam de muito jogo porque num contra-ataque ou num passe longo têm Ronaldo. É óbvio que Cristiano é singular, não há mais ninguém assim», analisou o selecionador espanhol no programa Al Primer Toque, da Onda Cero.

Ler artigo completo:

Del Bosque: »Cristiano é singular, não há mais ninguém assim» :: zerozero.pt


«Sou mais homem do que o Peter Pan»

O internacional italiano continua a ser o jogador mais mediático da squadra azzurra dentro e fora dos relvados. A Itália defronta a Inglaterra nos quartos de final do Euro2012, num confronto muito especial para o avançado do Manchester City.
«Espero que seja um excelente jogo, vai ser bom jogar contra alguns dos meus companheiros. Mas espero ganhar», começou por dizer Mario Balotelli.
No último jogo da Itália no Grupo C, Mario Balotelli marcou um grande golo à República da Irlanda e tentou enviar uns recados para o banco, não fosse um companheiro de equipa tapar-lhe a boca e provavelmente o selecionador italiano tinha ouvido das boas.
Mas este sábado, o avançado italiano fez questão de dizer aos jornalistas que não está a jogar com raiva, apesar dos insultos racistas na Polónia e na Ucrânia.
«Não tenho jogado com raiva nem tenho tido problemas com ninguém dentro da equipa ou na minha vida privada. Estou completamente bem, ao contrário do que alguns têm escrito. Vou jogar esta competição, fazê-lo bem, dar o meu melhor. Não tenho de mostrar a ninguém como sou», referiu o internacional italiano.

«Sou mais homem do que o Peter Pan» - SAPO Desporto


Portugal vs República Checa - Capas de Jornais

  

 

L'Équipe (França)
"Ninguém pára Portugal”, titulava o diário francês. "Saído do grupo da morte apesar do favoritismo dado à Alemanha e Holanda, Portugal já está nas meias-finais do Euro depois da vitória sobre a Rep. Checa. Cristiano Ronaldo continua a fazer a diferença."

Marca (Espanha)
"Golo de Ouro" e uma fotografia grande de Ronaldo estavam em destaque no desportivo espanhol. "Cristiano leva Portugal às meias-finais do Euro", tinha como manchete. "Portugal qualificou-se e Cristiano Ronaldo voltou a fazer um jogo soberbo, autor do golo no minuto 70 com um grande cabeceamento."

Gazzetta dello Sport (Itália)
"Ronaldo, golo e espectáculo, Portugal nas meias-finais", colocava em manchete o diário italiano. "A República Checa perdeu graças a uma proeza com a cabeça de Ronaldo. Um fora-de-série este português..."

Olé (Argentina)
"O melhor Cristiano", escrevia este jornal argentino. "Ronaldo voltou a rasgar tudo e meteu o golo que deu a passagem às meias-finais. O goleador do Real quer levar longe o seu país: espera por Espanha ou França. O avançado português já festejou três vezes neste Europeu."

El País (Espanha)
"Cristiano, finalmente, converteu-se no líder que necessitava o seu país. O segundo tempo de Portugal foi do melhor que se viu neste Europeu, perante uma pobre Rep. Checa que não atirou uma única vez à baliza adversária. Pelo contrário, Portugal apresentou a sua candidatura ao título. Tem tudo para isso, menos um ponta-de-lança. (...) É uma equipa com alma e fé. Superou todas as dúvidas do primeiro jogo."

 

"Ninguém pára Portugal”, escreve a imprensa estrangeira - Publico


Ronaldo faz “Checo-mate” até às meias - Portugal 0-1 República Checa

Portugal venceu, esta quinta-feira, a República Checa por 0-1, em jogo dos quartos de final do Euro2012, disputado no Estádio Nacional de Varsóvia, na Polónia. Cristiano Ronaldo marcou, aos 79 minutos, o golo que leva Portugal até às meias-finais.
A meia-final está agendada para 27 de junho, em Donetsk, na Ucrânia, e Portugal fica à espera do vencedor do encontro entre Espanha e França, que se realiza este sábado.
“Em equipa que ganha não se mexe”. É o que terá pensado Paulo Bento ao voltar a apresentar a mesma equipa titular contra os checos.
Tal como já tinham avisado, os checos começaram o encontro na expectativa, deixando que Portugal tomasse conta do jogo para depois espreitar uma oportunidade de contra ataque.
Nos primeiros minutos do encontro em Varsóvia, no primeiro desafio dos quartos de final deste Euro2012, a seleção nacional tentou chegar à área de Peter Cech através dos cruzamentos aéreos mas a formação comandada por Michal Bílek mostrou-se atenta o tempo todo. Pode-se dizer até, que a República Checa entrou melhor que Portugal no jogo.
Perto da meia hora de jogo, o árbitro inglês Howard Webb começou a tirar do bolso os cartões, com os dois primeiros a serem mostrado a Nani e Miguel Veloso.
À medida que o tempo do primeiro tempo passava, dava a sensação que Portugal podia ter feito mais, mas a República Checa estava apenas a cumprir o que já tinha prometido. O que faltava ao jogo era um golo para desbloquear a atitude da seleção adversária.
Já com o relógio do estádio de Varsóvia a bater os 45 minutos, Cristiano Ronaldo, muito assobiado sempre que tocava na bola, enviou, uma vez mais, uma bola ao poste, após passe fantástico de Raul Meireles.

Depois de tantas tentativas falhadas, Cristiano Ronaldo conseguiu, finalmente, encontrar o caminho para o golo. Para isso, teve de usar a cabeça. Aos 79 minutos de jogo, Moutinho ganhou espaço na área e cruzou para a área checa. Hugo Almeida não chegou à bola, mas o capitão encarregou-se de concluir da melhor forma, fazendo o seu terceiro golo no Euro2012.

 


«Os jogadores estão bem cientes que o futuro é hoje»

«Não é qualquer equipa que chega aos quartos-de-final. Temos de ter esperança num bom resultado e é nesse o objetivo que os jogadores têm de se concentrar», começou por dizer João Pinto.
«Os jogadores estão bem cientes que o futuro é hoje. Sabem que para chegar às meias-finais precisam de estar concentrados pois, embora nos atribuam favoritismo, trata-se de um adversário difícil. Humildade a mais pode cheirar a vaidade e é preciso estarmos precavidos quanto a isso»,

«Os jogadores estão bem cientes que o futuro é hoje» - SAPO Desporto


Frango com berbigão

Frango qb, sal, manteiga, cebola, alho, 1 lata de berbigão, maionese savora e mostarda. - põe-se o tacho ao lume com um pouco de manteiga junta-se o frango para alourar, pica-se o alho e a cebola e deita-se por cima do frango assim como a savora e a mostarda.

- deixa-se cozer um pouco e mistura-se o berbigão

- se verificar que tem pouco molho junta-se um pouco de vinho. Coze em lume brando. Serve-se a gosto pessoal.


Frango à Beira-Baixa

Frango q.b., sal, pimenta, alho, chouriço, salsa, cebola, vinho branco, maionese savora.

- parte-se o frango em pedaços, não muito grandes, deita-se numa taça e tempera-se com todos os ingredientes, passa-se o chouriço pela máquina e deita-se também no frango, envolve-se tudo muito bem procurando que o frango fique com bastante chouriço, deixa-se ficar assim mais ou menos duas horas

- depois disto deita-se um pouco de azeite num tabuleiro de ir ao forno e uns bocadinhos de margarina, coloca-se o frango e vai ao forno, vai-se mexendo de vez em quando até cozer. Acompanha com batatinhas louras, arroz, esparguete, puré etc.


Coelho á Caçador

- coelho qb

- corta-se em pedaços e tempera-se com sal, piripiri, louro, orégãos, alho e

vinho branco ficando assim algumas horas.

- coloca-se um tacho ao lume com cebola picada, cenoura aos palitos, um ramo de

salsa, uma colher de banha, um pouco de azeite e tiras de bacon

- deixa-se refogar um pouco, deita-se o coelho e deixa-se apurar, de seguida deita-se a marina.

- fica a ferver em lume brando, mexendo-se de vez em quando para não se pegar.


shrek na vida real

Shrek foi inspirado em Maurice Tillet, nasceu na França em 1903. Ele era um homem muito inteligente, que falava 14 idiomas, além de ser um exímio poeta e ator. Quando chegou à juventude, Maurice começou a desenvolver uma doença rara, chamada acromegalia. Esta doença causa um crescimento exacerbado e incontrolável de partes do corpo. Em pouco tempo, todo o seu corpo se desfigurou de uma maneira muito peculiar.

Na verdade, esta “transformação” afetou profundamente os aspectos psicológicos da personalidade de Tillet, que sofreu os horrores de começar a se transformar de uma maneira grotesca, apesar de por dentro continuar sendo um cavalheiro super inteligente. Sua forma gerava tanto preconceito que Tillet começou a ser expulso dos lugares que freqüentava e onde antes era bem recebido. Não podendo lutar contra a doença, Maurice começou a adaptar-se a ela, adquirindo um rol de comportamentos mais adequados a sua grotesca aparência.
Ler artigo completo:

shrek na vida real


Se dúvidas houvesse, eis Cristiano Ronaldo

Critiquem-no, falem da sua seca de golos, da sua pouca preponderância na seleção nacional em comparação com o Real Madrid, do seu feitio fora de campo. É disso que Cristiano Ronaldo gosta, destes jogos de palavras para que depois possa dentro de campo dar a resposta como melhor sabe: com futebol deste e outro planeta.
O extremo foi o jogador em maior destaque na vitória frente à Holanda. Dez remates no total, cinco à baliza com dois a serem travados pelos postes, e dois golos. Junte-se a velocidade de execução, os dribles imprevisíveis, os passes com a geometria dos grandes matemáticos e aí temos Cristiano Ronaldo a deixar a sua marca neste Europeu de futebol, e a justificar o estatuto de estrela maior desta competição.
Como qualquer jogador não deve nem pode escapar às críticas quando o seu rendimento não é o esperado, mas também são justos os elogios quando mostra o futebol de que pode e é capaz. Agora que voltou a encantar a Europa espera-se mais dele já nos quartos-de-final diante da República Checa. Portugal não é “ronaldodependente”, como ficou provado frente à Dinamarca, mas a verdade é que quando ele está bem, a equipa e os portugueses agradecem.

Ler artigo completo:

Se dúvidas houvesse, eis Cristiano Ronaldo - SAPO Desporto


Portugal 2 - Holanda 1 (Resumo) #euro2012

Paulo Bento não podia pedir mais. Na mesma noite, com os astros devidamente alinhados, resolveu dois problemas de uma assentada: o apuramento para os quartos-de-final do Euro 2012 (2-1) e a alergia de Cristiano Ronaldo aos golos. Com a Holanda, absolutamente irreconhecível, a funcionar como anti-histamínico, Portugal foi eliminando sintomas e ficando imune à má sorte. E nem o empate no Alemanha-Dinamarca ao intervalo terá chegado a provocar falta de ar.

 

Quando, aos 11’, Rafael van der Vaart arrancou aquele remate de gente grande de fora da área, a tradição pareceu tremer. A tradição que dizia que Portugal entrava no jogo com um total de seis vitórias, três empates e apenas uma derrota frente à Holanda no seu historial. O adversário, que tanto se queixara da falta de eficácia, marcava no primeiro pontapé que fazia à baliza e ficava a um golo apenas do apuramento.

Nos minutos seguintes, porém, percebeu-se que esse golo estava tão distante como os dois estádios onde se decidia o destino do Grupo B. Em vez de aproveitarem a onda de entusiasmo, os holandeses deixaram de circular a bola, deixaram que Portugal entrasse no meio-campo e começasse a pressionar na primeira fase de construção. Resultado: demasiados erros e muitos calafrios. Hélder Postiga não aproveitou o maior deles (na sequência de um brinde da defesa atirou ao lado). Tudo normal.

Chegou o minuto 27 e, com ele, quebrou-se o gelo e derreteu uma das dúvidas laterais deste Europeu, que consistia em saber quando é que Cristiano Ronaldo ia encontrar a baliza. Assistência magistral de João Pereira e conclusão fácil do capitão, que se tornou no primeiro jogador português a marcar em cinco torneios consecutivos (Euro 2004, Mundial 2006, Euro 2008, Mundial 2010 e Euro 2012). Como se não bastasse, aquele remate na cara de Stekelenburg permitiu-lhe ultrapassar Figo no terceiro lugar da galeria dos melhores marcadores de Portugal, agora com 33 golos.

 

Ficha de jogo:
Portugal: Rui Patrício; João Pereira, Bruno Alves, Pepe, Fábio Coentrão; Miguel Veloso, Raul Meireles (Custódio 72’), João Moutinho; Nani (Rolando 87’), Cristiano Ronaldo, Postiga (Nélson Oliveira, 64’).
Holanda: Maarten Stekelenburg; Gregory van der Wiel, Ron Vlaar, Joris Mathijsen, Jetro Willems (Afellay 68’); Rafael van der Vaart, Nigel de Jong, Wesley Sneijder, Arjen Robben; Klaas-Jan Huntelaar, Robin van Persie.Acção disciplinar: cartão amarelo para Willems (51'), Van Persie (69)', João Pereira (90+2').

 

Ler artigo Completo:

Ronaldo dividiu com a Alemanha o custo do voo para Varsóvia(Publico)